Quarta, 19 de Janeiro de 2022
29°

Pancada de chuva

Paraíso do Tocantins - TO

Cultura Tocantins

Artesanato tocantinense estará presente em cinco feiras internacionais de turismo

Calendário de exposição começou com a WTM London, onde o capim dourado, a arte karajá e o tambor de barro estão expostos no estande da Embratur

03/11/2021 às 10h50
Por: Portal ToNotícias Fonte: Secom Tocantins
Compartilhe:
Vendas do Salão do Artesanato vão beneficiar mais de mil artesãos, direta e indiretamente - Foto: Seleucia Fontes/Governo do Tocantins
Vendas do Salão do Artesanato vão beneficiar mais de mil artesãos, direta e indiretamente - Foto: Seleucia Fontes/Governo do Tocantins

Com a retomada das ações de divulgação turística em nível global, a Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) confirma a participação em cinco eventos neste final de 2021. O Tocantins marca presença com seus principais atrativos e com seu artesanato, graças ao Acordo de Cooperação Técnica com o Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), com foco na promoção internacional do Brasil e no desenvolvimento do setor artesanal.

As ações propostas pelo acordo visam agregar valor e peso cultural à agenda de promoção internacional dos produtos e destinos turísticos do País, de modo a fomentar e estimular a produção associada ao turismo, sobretudo o artesanato que preserva a memória dos saberes tradicionais populares. Cada Estado foi convidado a enviar peças para compor os estandes dos eventos, de modo a despertar no turista estrangeiro a curiosidade para conhecer a variedade de manifestações culturais.

Em atendimento à solicitação, o Governo do Tocantins, por meio da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), cedeu três peças representativas da arte e da iconografia tocantinense: uma mandala de capim dourado, uma boneca Ritxokó Karajá e um tambor de barro.

Durante a abertura do 14° Salão do Artesanato - Raízes Brasileiras, no último dia 27 de outubro, as peças foram entregues ao secretário especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa, pelo superintendente de Cultura, Relmivam Milhomem, pelo percussionista e artesão Márcio Bello e pela modelo Tayza Pereira.

Conforme o calendário da Embratur, o artesanato tocantinense será visto na WTM London (World Travel Market), de 1 a 3 de novembro, em Londres (Reino Unido); na IMEX America, de 9 a 11 de novembro, em Las Vegas (EUA); na ITB China, de 24 a 26 de novembro, em Xangai; na IBTM World, de 30 de novembro a 2 de dezembro, em Barcelona (Espanha); e na FIT America Latina, 4 a 7 de dezembro, em Buenos Aires (Argentina).

“Agregar nossos valores culturais ao turismo, bem como fortalecer a cadeia produtiva é meta do Governo do Tocantins e tenho certeza que nosso artesanato será muito bem recebido pelos públicos destas cinco feiras internacionais”, enfatiza o presidente da Adetuc, Jairo Mariano, ao elogiar a iniciativa do PAB e da Embratur.

Sobre as peças

Principais expoentes da arte da etnia Karajá, as bonecas Ritxòkò foram reconhecidas como patrimônio imaterial da cultura brasileira em 2012, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Sua confecção envolve técnicas e modos de fazer considerados tradicionais e transmitidos de geração em geração.

O artesanato em capim dourado tem origem indígena, entre o povo Xerente, mas ganhou fama internacional a partir do trabalho dos artesãos do Jalapão. Hoje, é reconhecido como um dos símbolos da cultura tocantinense e destaque nas feiras de artesanato.

O tambor de barro e pele animal tem sua origem no Sudão e foi introduzido na região de Natividade pelos escravizados. A técnica de confecção estava praticamente esquecida, mas foi recuperada graças ao trabalho de pesquisa do artesão e percussionista Márcio Bello, que também atua na transmissão deste conhecimento ancestral.

Salão do Artesanato

O 14° Salão do Artesanato - Raízes Brasileiras foi realizado no Pátio Brasil, em Brasília, entre 27 e 31 de outubro. O estande do Tocantins contou com peças em capim dourado, madeira, cerâmica, sementes, fibras e outras matérias-primas, produzidas pelos artesãos Edina Martins Borges (Xambioá), José Uriawa Karajá (Lagoa da Confusão), Márcio Bello (Porto Nacional), Josias de Souza Menezes, e artistas representados pelo Centro Cultural Kájre (Goiatins), Associação Dourada (Novo Jardim), Associação das Mulheres Artesãs e Empreendedoras de Lajeado e Associação Dianopolina de Artesãos (Dianópolis). Eles foram selecionados por meio de edital lançado pela Adetuc, que garantiu o transporte das peças e seus responsáveis.

Ao longo de cinco dias de feira, o estande tocantinense comercializou 1.420 peças no local. Outras 1.291 peças foram encomendadas, num total de R$ 86.322,00. O resultado deste trabalho vai beneficiar diretamente 109 artesãos e indiretamente outros 927 artistas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias