Sábado, 27 de Novembro de 2021
24°

Poucas nuvens

Paraíso do Tocantins - TO

Geral Tocantins

Tocantins avalia mais de 80 toneladas de fósseis na Agência Brasileira de Inteligência para repatriação

Madeiras fossilizadas foram apreendidas pela Polícia Federal e alocadas no pátio da Agência Brasileira de Inteligência

24/11/2021 às 13h25
Por: Portal ToNotícias Fonte: Secom Tocantins
Compartilhe:
Naturatins, UFT e UFNT inspecionam os fósseis no pátio da Agência Brasileira de Inteligência, em Brasília - Foto: Hermísio Alecrim/Governo do Tocantins
Naturatins, UFT e UFNT inspecionam os fósseis no pátio da Agência Brasileira de Inteligência, em Brasília - Foto: Hermísio Alecrim/Governo do Tocantins

Nesta quarta-feira, 24, uma comitiva do Tocantins formada por representantes do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) que atuam no Monumento Natural de Árvores Fossilizadas do Estado do Tocantins (Monaf), da Universidade Federal do Tocantins (UFT) e da Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT) avaliam mais de 80 toneladas de madeiras fossilizadas apreendidas pela Polícia Federal (PF) e alocadas no pátio da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), em Brasília, para providenciar o retorno das peças às coleções de árvores fossilizadas do Estado.

A missão da Comitiva do Tocantins teve início nessa terça-feira, 23 e se estende até o dia 27 de novembro de 2021. O traslado das peças ao Estado de origem será realizado em momento oportuno, para alocação dos fósseis nas coleções da UFT, UFNT eNaturatins.

“Este momento é considerado histórico para oMonaf, para a Paleontologia Brasileira e a Comitiva do Tocantins, uma vez que esses fósseis seriam contrabandeados e agora retornarão ao estado de origem. No Tocantins, as peças ficarão sob a guarda das instituições de ensino superior do Estado e doNaturatins, que conta com os cuidados de uma Unidade de Conservação (UC) de Proteção Integral, para esse tipo de material”, destacao biólogo e gestor doMonafTocantins, HermísioAlecrim.

“Nessa missão interinstitucional entre UFT, UFNT eNaturatinsvamos vistoriar cerca de 80 toneladas de madeiras fossilizadas, extraídas de forma indevida da região do Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins. Essa oportunidade é resultado da mobilização do reitor Luiz EduardoBovolato, que sabendo da possibilidade de salvaguarda de parcela do material alocado no pátio da Abin, por parte da UFT, reconhece a importância científica que esse material possui”, afirmaa paleontóloga, professora doutora representante da UFT, campus de Porto Nacional, EtieneFabbrinPires Oliveira.

“Contudo, o valor científico deste material é inestimável, tendo em vista que são peças ainda desconhecidas da ciência brasileira e que com a devida salvaguarda em instituições de ensino e pesquisa vão servir como base para futuras pesquisas e formação de pessoas tanto a nível de graduação como depós-graduação”, avaliaEtieneOliveira.

“O retorno dos fósseis vegetais ao estado do Tocantins, outrora, destinados ao tráfico de fósseis, situação superada com ação civil pública, constitui importante elemento da história natural do Estado e região norte, possibilitando, por meio da UFNT, instituição de ensino superior recém-criada, ampliar o leque de pesquisa paleontológica, bem como proporcionar aos estudantes do curso de Biologia, procedentes de vários estados como, Piauí, Pará, Maranhão, melhor conhecimento da vida pretérita e assim como a possibilidade de elucidar aspectos evolutivos e temporais”, pontua a bióloga e representante da UFNT, Tatiane Marinho Vieira Tavares.

“Os projetos de extensão e feiras de ciências, ações constantes no curso de Biologia,permitem a ampla divulgação, no ensino básico e sociedade civil, caracteriza, portanto, uma vitória à paleontologia brasileira”, conclui Tatiane Tavares.

De acordo com a Comitiva do Tocantins, oMonaftem importância científico-cultural imensurável, mas uma estimativa aponta que grande quantidade (cerca de 100 toneladas) de fósseis provenientes da UC foi objeto de atividade de venda e exposição à venda, inclusive via internet, durante mais de uma década (1997 a 2008).

Após investigações concluídas pela Polícia Federal, foram ajuizadas uma Ação Civil Pública (Lei nº 7.347/1985) e uma Ação Penal, ambas, propostas pelo Ministério Público Federal, perante a 1ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado do Tocantins. E tiveram papel importante neste processo, a Curadoria de Paleontologia do Museu de Ciências da Terra/DNPM, bem como da Sociedade Brasileira de Paleontologia.

Comitiva Tocantins

Do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) quem acompanha é o biólogo, Inspetor de Recursos Naturais, gestor doMonaf, HermísioAlecrim. Da Universidade Federal do Tocantins (UFT) a professora doutora, paleontóloga, campus de Porto Nacional, Laboratório dePaleobiologia, Coleção de Paleontologia da UFT – CPALEOUFT, EtieneFabbrinPires Oliveira é quem acompanha a equipe tocantinense.

E representando a Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT), campus de Araguaína, Laboratório de Invertebrados e Paleontologia (LIP) e o de Coleções Biológicas e Paleontológicas (LCBP), Tatiane Marinho Vieira Tavares.

Monaf

OMonafestá situado na Amazônia Legal, no distrito deBielândia, município de Filadélfia, norte do estado do Tocantins. Foi criado pela Medida Provisória nº 370/2000 (Tocantins, 2000), e convertida na Lei Estadual nº 1.179/2000, inserido na categoria de UC de proteção integral, com a finalidade de proteger e conservar as diversidades biológicas e paleontológicas existentes no local.

Tocantins avalia mais de 80 toneladas de fósseis na Agência Brasileira de Inteligência para repatriação
Peças estão sendo preparadas no pátio da Abin para o traslado - Hermísio Alecrim/Governo do Tocantins
Tocantins avalia mais de 80 toneladas de fósseis na Agência Brasileira de Inteligência para repatriação
Fósseis são acomodados em caixas para retorno ao Tocantins - Hermísio Alecrim/Governo do Tocantins
Tocantins avalia mais de 80 toneladas de fósseis na Agência Brasileira de Inteligência para repatriação
Madeiras fossilizadas serão repatriadas no Tocantins - Hermísio Alecrim/Governo do Tocantins
Tocantins avalia mais de 80 toneladas de fósseis na Agência Brasileira de Inteligência para repatriação
Fósseis vegetais retornam para a coleção de origem no Tocantin - Hermísio Alecrim/Governo do Tocantins
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias